Veja abaixo alguns depoimentos de ex-alunos e pais sobre o UWC:

 

“Ganhei a bolsa para ir estudar no Colégio da Noruega de 2000 a 2002. Viajei para um país que não conhecia, seguindo os ideais de paz e desenvolvimento sustentável promovidos pelo movimento UWC. A vida nos colégios é bastante intensa, mas é um privilégio estudar com professores tão dedicados e alunos interessados em aprofundar seus conhecimentos. Dividi um quarto com pessoas de outros países, da Islândia a Bósnia! Aprendi muito sobre os costumes e cultura de pessoas do mundo inteiro, e fiz amizades que tenho certeza vão durar minha vida inteira. Foi uma experiência única e uma época inesquecível e muito especial.”

Nina Best (Red Cross Nordic College 00-02)

 

“De família humilde do interior de São Paulo, aluno de escola publica, tenho que reconhecer que a experiência UWC foi realmente uma divisora de águas em minha vida. Era começo do fim da ditadura. No contexto mundial: guerra fria, brigadas vermelhas na Itália, inicio do conceito de terrorismo. Tudo isso aliado às minhas leituras, minha condição social, à necessidade de eu ter que trabalhar para ajudar minha família e à conscientização da exploração capitalista criavam em mim, de forma até "natural", um sentimento anti-americano muito forte. Tomei conhecimento do movimento UWC no início de 1984, fiquei encantado com a proposta, seduzido, hipnotizado mesmo. Eu (e muita gente) até duvidava que pudesse ser verdade. Parecia bom demais para ser verdade. Resolvi arriscar! Eu queria ir para o colégio do Canadá. Lindíssimo, no meio da floresta, casas de madeira, cenário deslumbrante. Estava decidido, se eu fosse escolhido, iria para o Canadá! Fui selecionado para o colégio dos EUA... Banho de água fria!! Eu estava marcado a conhecer os imperialistas pelos quais eu não nutria a menor simpatia... Hoje eu entendo porque a experiência UWC tem que ser nessa faixa etária. Graças a isso, meus pré-conceitos, ainda não totalmente enraizados, puderam ser derrubados. Hoje eu sei diferenciar o Bush de meus amigos mais queridos, com os quais ainda hoje mantenho contato; Lindsey Pahs, Ann Schroeder, Jeannie Morefield, Mike Aaron só para citar alguns dentre dezenas de cidadãos dos Estados Unidos que eu considero MEUS AMIGOS, irmãos mesmo, e só tenho a agradecer a experiência UWC sem a qual isso dificilmente seria possível para um menino de classe média-baixa de Rio Claro. OBRIGADO!! Resumindo: recomendo fortemente a todos que tiverem oportunidade. Grande abraço, Marcelo Marchesin.”

Marcelo Marchesin (Armand Hammer United World College of the American West 84-86) “

 

Estudar em um UWC foi uma das melhores experiências que já tive, e provavelmente das que terei. Conviver com pessoas do mundo todo e conhecer novas culturas foi algo indescritível pra mim. Em Pearson fiz amigos que vão durar pra vida inteira, não importa onde estivermos, sei que sempre posso contar com eles, e mesmo que a saudade aperte de vez em quando, as lembranças valeram a pena cada momento. O colégio fica num lugar lindíssimo, a combinação de tudo que eu mais amo na vida, as montanhas, o oceano e a floresta! E as pessoas são tão amáveis, que eu simplesmente me apaixonei pelo lugar. Além disso tudo, foi lá que descobri a minha inspiração, o mar, que me levou a mudar completamente o curso que tinha imaginado pra minha vida. Foi difícil chegar e ter deixado a família e amigos no Brasil, mas mais difícil ainda foi ter ido embora.”

Rita Santos (Lester B. Pearson College 03-05)

 

“A ida de minha filha ao UWC na Itália foi uma decisão das mais acertadas. Ela voltou feliz, realizada, preparada para os novos desafios no Brasil. Decidir que minha filha fosse estudar fora com 16 anos foi difícil, mas ao falar com os pais dos alunos que já viajaram fique mais tranqüilo e depois tive a certeza que nossos filhos são priveligiados.”

Tarcisio Miguel Sevegnani, pai de Andréa Nazareth Sevegnani (United World College fo the Adriatic 05-07)

Theme by Danetsoft and Danang Probo Sayekti inspired by Maksimer